terça-feira, 10 de maio de 2011

Idéias do canário-Machado de Assis




Hoje, li este conto e fiquei mais uma vez abismado com a sabedoria de Machado de Assis. Ele tem um conhecimento profundo da vida e passa esta sabedoria na sua literatura. 

Um homem por acaso encontra um canário numa loja de belchior, um lugar que só tem objetos velhos e sem utilidades. No meio de tanta quinquilharia, ele encontrou um canário cheio de vida numa velha gaiola.

A partir do encontro do homem com o pássaro, Machado mostra questões filosóficas e existenciais do ser. O homem ficou surpreso, quando o canário disse que seu mundo era: “O mundo, redargüiu o canário com certo ar de professor, o mundo é uma loja de belchior, com uma pequena gaiola de taquara, quadrilonga, pendente de um prego; o canário é senhor da gaiola que habita e da loja que o cerca. Fora daí, tudo é ilusão e mentira.”. Então, ele comprou o canário, para estudá-lo e mostrar para a ave outras definições de mundo.

Machado reafirma mais uma vez sua maestria, quando o homem ficou doente, o canário fugiu e não quis voltar para o seu dono, pois se admirou com uma nova concepção de mundo. O animal superou seu mestre, fazendo sua própria escolha.

O conto evidencia como a concepção de mundo se relaciona com o lugar onde a pessoa vive, quanto mais conhecemos mais a gente enxerga outras possibilidades. No primeiro momento, o canário estava satisfeito numa gaiola nova; em seguida, na casa do novo dono: “um jardim assaz largo com repuxo no meio, flores e arbustos, alguma grama, ar claro e um pouco de azul por cima; o canário, dono do mundo, habita uma gaiola vasta, branca e circular, donde mira o resto.”. Depois, “espaço infinito e azul, com o sol por cima.”.

Neste conto, o autor usa a ironia para criticar a sociedade e, principalmente, os intelectuais empolados e vazios da época. Tem um trecho que o canário diz para o homem que o comprou que ilustra a crítica do Machado de Assis: “— Que mundo? Tu não perdes os maus costumes de professor. O mundo, concluiu solenemente, é um espaço infinito e azul, com o sol por cima.”.

Enfim, vale a pena ler o conto e tirar suas próprias conclusões. Machado de Assis é daquele tipo de escritor que ensina bastante sobre a vida.